OS 5 PRINCÍPIOS BÁSICOS DAS FINANÇAS PESSOAIS

OS 5 PRINCÍPIOS BÁSICOS DAS FINANÇAS PESSOAIS

Saber lidar com o dinheiro é essencial para qualquer pessoa alcançar os seus objetivos financeiros. Não há outro caminho. Se você não tem uma boa gestão sobre as suas finanças pessoais, você jamais será uma pessoa bem-sucedida financeiramente.

Desafortunadamente, finanças pessoais é algo que não se aprende na escola. Talvez por isso vemos no dia-a-dia um grande número pessoas inteligentes tomando decisões erradas quando se trata de dinheiro. Decisões estas que fazem muitas dessas pessoas se lamentar pelo resto das suas vidas.

Por isso, preparei esse artigo, com os 5 princípios básicos das finanças pessoais. Se você entender e optar por aplicar esses princípios na sua vida financeira, dificilmente tomará decisões erradas quando o assunto for dinheiro. Vamos a eles?

 

PRINCÍPIO DAS FINANÇAS PESSOAIS #1 – GASTAR MENOS DO QUE GANHA

OS 5 PRINCÍPIOS BÁSICOS DAS FINANÇAS PESSOAIS

O primeiro princípio das finanças pessoais é simples, lógico e matemático. Uma pessoa que tem o costume de gastar mais do que ganha será cada vez mais pobre. Estará sempre caminhando rumo ao caos financeiro.

Esse hábito financeiramente insalubre tende a corroer o patrimônio de quem o pratica. E, quando não houver mais do que se desfazer, a tendência é que comece a fazer dívidas.

Nunca – e friso: nunca mesmo! – se permita criar o hábito de gastar mais do que você ganha. As consequências são certas e devastadoras para suas finanças.

 

PRINCÍPIO DAS FINANÇAS PESSOAIS #2 – CRIAR UM ORÇAMENTO

OS 5 PRINCÍPIOS BÁSICOS DAS FINANÇAS PESSOAIS

Esse segundo princípio também é de suma importância para que você mantenha uma boa gestão das suas finanças pessoais.

Qualquer tipo de gestão é muito mais eficaz quando as decisões são tomadas em cima de dados coletados. É muito difícil administrar algo quando não se coleta dados. Consequentemente, os resultados também são bem diferentes.

Acredite: mais da metade dos nossos alunos ingressam no treinamento Segredos do Milhão não sabendo dizer exatamente quanto ganham! Nem quanto gastam! E isso as impedem de gerir suas finanças com excelência!

É essencial ter um orçamento equilibrado e preciso. Saber exatamente quando da sua renda vem do seu trabalho. E quanto vem dos seus investimentos. Quanto é destinado às suas contas básicas (aluguel, condomínio, luz, telefone, internet…). E quanto é destinado às compras programadas (carro novo, imóvel, viagem…).

Ter um orçamento não implica, necessariamente, em anotar cada um dos seus gastos mensais. Ter uma ideia (quanto mais precisa, melhor) de quanto pode ser gasto em cada segmento (contas básicas, educação, saúde, lazer…) já possibilita uma boa gestão das finanças. Há muitos aplicativos gratuitos para smartphones que permitem fazer isso com facilidade.

Por isso, criar um orçamento é fundamental para conquistar objetivos financeiros e, consequentemente, para o bom andamento das suas finanças pessoais.

 

PRINCÍPIO DAS FINANÇAS PESSOAIS #3 – CRIAR UMA CONTA DE INVESTIMENTOS

OS 5 PRINCÍPIOS BÁSICOS DAS FINANÇAS PESSOAIS

Mas são os seus investimentos que te farão enriquecer. Por isso, o terceiro princípio básico das finanças pessoais é: criar uma conta de investimentos.

Você pode criar uma conta de investimentos gratuitamente em qualquer corretora de valores. Ao contrário dos bancos, ao investir através de uma corretora, você terá uma assessoria muito melhor, pagando taxas muito menores.

A maior objeção que investidores iniciantes tem para abrir uma conta e começar a investir através de uma corretora é: “será que é seguro”? A resposta é: é tão seguro quanto investir através dos bancos.

Isso porque o seu dinheiro não ficará investido na corretora. Ela é apenas uma corretora! Estará apenas intermediando o investimento. Assim como um corretor de seguros, que intermedia a contratação de um seguro qualquer!

Se precisar de ajuda para escolher uma corretora para começar a investir, leia esse artigo.

Mas não basta investir. É preciso fazer isso o quanto antes! Quanto mais cedo você começar a investir, menos dinheiro você terá que investir para alcançar os seus objetivos financeiros. O tempo fará a maior parte desse trabalho para você.

Os juros compostos são tão poderosos que Albert Einstein os classificavam como “a força mais poderosa do universo”.

Por isso, nem pense em deixar para o ano que vem um investimento que você pode fazer hoje. Ainda que começando com pouco dinheiro. Ao mesmo tempo que você estará trabalhando para poder investir mais, o dinheiro que você já investiu também estará trabalhando para aumentar o seu patrimônio.

 

PRINCÍPIO DAS FINANÇAS PESSOAIS #4 – AVALIAR SUA EXPOSIÇÃO AO RISCO

OS 5 PRINCÍPIOS BÁSICOS DAS FINANÇAS PESSOAIS

O primeiro conselho que costumo dar aos novos investidores é: invista sabendo o que está fazendo. Não invista porque um amigo falou que é bom. Não invista porque você leu uma matéria em uma revista.

Entenda no que você está investindo. Entenda de onde virá o retorno do seu investimento. E, principalmente: entenda qual é o risco do investimento que está sendo feito.

Uma coisa é certa: todo e qualquer investimento tem riscos. Alguns apresentam riscos mínimos. Outros, altos riscos. Não existe nenhum investimento livre de risco.

Por outro lado, os investimentos mais arriscados tendem a apresentar taxas de retorno maiores.

Por isso, é muito importante que você conheça qual é o seu perfil de investidor, e qual é a sua tolerância ao risco.

Aqui vão algumas dicas para te ajudar a minimizar o risco nos seus primeiros investimentos:

  • Até que se familiarize com os investimentos e com a gestão de risco dos mesmos, ao investir em títulos de renda fixa, procure aqueles que são cobertos pelo Fundo Garantidor de Créditos.
  • Outra possibilidade é avaliar os ratings dos títulos de dívida e dos emissores em que você pretende investir.
  • Já se sua ideia é investir no mercado de ações, considere começar através de um fundo. Os fundos possuem profissionais capacitados que farão essa gestão de risco por você e escolherão em quais ações investir.
  • Diversificar investimentos também é uma forma de gerir o risco dos investimentos. Entretanto, quanto mais você diversificar, mais próximo à média do mercado os seus investimentos estarão.

 

PRINCÍPIO DAS FINANÇAS PESSOAIS #5 – UTILIZAR O CRÉDITO DE FORMA INTELIGENTE E RESPONSÁVEL

OS 5 PRINCÍPIOS BÁSICOS DAS FINANÇAS PESSOAIS

Da mesma forma que os juros compostos podem trabalhar ao seu favor, eles também podem trabalhar contra você. Por isso, muitas pessoas criam uma enorme rejeição para com o crédito, bancos e afins. Não querem nem ouvir a falar em empréstimos.

Todavia, se manter longe de qualquer tipo de dívida não é o caminho mais inteligente para as suas finanças pessoais. O fato de não querer fazer dívidas pode te fazer perder muitas boas oportunidades que, mais cedo ou mais tarde, podem vir a aparecer.

Não seria um bom investimento pagar juros de 8% ao ano para comprar um imóvel que tende a valorizar 20% ao ano em um bom momento da economia? Não seria um bom investimento pagar juros de 1% ao mês por um capital de giro que vai fazer o seu negócio te dar um retorno muito maior? Ou ainda, pagar juros de 30% ao ano para quitar uma outra dívida que está te cobrando juros de 300% ao ano?

Desta forma, ao invés de criar uma crença limitante quanto ao crédito, avalie qual o retorno que esse crédito tende a lhe gerar.

Obviamente que não é um bom negócio pagar juros para comprar um carro mais luxuoso. Mas pode ser para um investimento pontual. Sempre avalie caso a caso.

O crédito deve ser utilizado de forma inteligente e responsável.

OS 5 PRINCÍPIOS BÁSICOS DAS FINANÇAS PESSOAIS

Sempre que for tomar qualquer decisão acerca das suas finanças pessoais, siga esses 5 princípios básicos. Não ignore nenhum deles, e você dificilmente tomará decisões erradas!

Sumário
OS 5 PRINCÍPIOS BÁSICOS DAS FINANÇAS PESSOAIS
Artigo
OS 5 PRINCÍPIOS BÁSICOS DAS FINANÇAS PESSOAIS
Descrição
Entenda esses 5 princípios básicos das finanças pessoais e não tome mais decisões erradas quando o assunto é dinheiro! 😉
Autor
Site
Guia do Milhão

11 Comentários


  1. Tiago tem diferença entre os investimentos disponíveis de uma corretora pra outra?

    Responder

    1. Tem sim Janaína!
      Diferentes corretoras podem oferecer diferentes oportunidades de investimento!

      Responder

  2. Sou muito conservadora com meu dinheiro
    Só de falar em risco já fico com medo de investir
    Rsrs

    Responder

    1. Não precisa ter medo Mariana!
      O seu medo de perder pode tirar a sua vontade de ganhar!
      Por isso, cuidado!
      O risco não deve ser evitado, mas sim gerenciado!
      😉
      Sucesso nos seus investimentos Mariana!

      Responder

  3. Gostei muito do seu post, vou acompanhar o seu blog/site.
    Este tipo de conteúdo tem me ajudado muito no desenvolvimento pessoal.
    Obrigado
    Manuela Silva

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *