CDB – CERTIFICADO DE DEPÓSITO BANCÁRIO

A atividade principal de qualquer banco é emprestar dinheiro para as pessoas (físicas e jurídicas). E, para ter esse dinheiro disponível para emprestar, os bancos precisam tomá-lo emprestado de alguém. O CDB – Certificado de Depósito Bancário – é um título emitido por esses bancos justamente para isso: capitalizar dinheiro.

Desta forma, eles tomam dinheiro emprestado do investidor pagando algo em torno de 85 a 130% do CDI, por exemplo. E reemprestam aos seus clientes a juros maiores, que podem até mesmo ultrapassar a barreira de 1.000% do CDI!

A diferença entre o valor das taxas que os bancos captam o dinheiro, para o valor que eles emprestam o dinheiro, é chamado de spread.

Assim, se o banco captou dinheiro por meio de um CDB pagando 15% ao ano, e emprestou esse mesmo dinheiro a 30% ao ano, o spread foi de 100%, isto é, ele dobrou seu investimento com essa operação.

Portanto, o intuito do CDB é que o investidor faça um empréstimo ao banco, para que o banco possa reemprestar este dinheiro a juros maiores. Isto é, com spread.

MODALIDADES DE CDB

Existem duas modalidades principais de CDB:

  • Pré-fixado: o banco e o investidor combinam de forma prévia a remuneração do investimento. Exemplo: remuneração de 15% ao ano.
  • Pós-fixado: o banco e o investidor combinam de forma prévia qual índice será utilizado para se apurar o valor da remuneração do investimento. O valor exato será apurado ao final, quando for divulgado o índice acordado. Exemplos: remuneração de 105% do CDI; ou remuneração de 7% a.a. + a variação do IPCA (índice que mede a inflação).

Veja, que o CDB pós-fixado estará sempre sujeito à variação dos índices atrelados a ele.

A rentabilidade de um CBD pós-fixado, que pagará 105% do CDI, sempre acompanhará a variação do CDI. Exemplos: se o índice do CDI variar para 10% ao ano, esse CDB rentabilizará 10,5% ao ano (105% do CDI). Se o CDI for para 15% ao ano, esse mesmo CDB rentabilizará 15,75% ao ano (105% do CDI).

A mesma coisa acontece com um CDB pós-fixado indexado ao IPCA, que pagará 7% + a variação do IPCA. Exemplos: se o IPCA for de 10% no ano, esse CDB rentabilizará 17% ao ano (IPCA + 7%). Já se o IPCA fechar em 7% no ano, esse mesmo CDB rentabilizará 14% ao ano (IPCA + 7%).

LIQUIDEZ DO CDB

Todo CDB é um título. Portanto, tem um vencimento.

A liquidez do CDB varia de acordo com cada título. Alguns deles possuem liquidez diária (pode ser resgatado a qualquer dia), D+1 (pode ser resgatado no dia seguinte à solicitação), D+2 (pode ser resgatado dois dias após a solicitação), semanal, etc.

Outros, só podem ser resgatados na data do vencimento.

Em regra, CDB emitidos por bancos menores possuem menor liquidez (resgate só no vencimento), mas são os que oferecem rentabilidade maior.

Por outro lado, CDB emitidos por bancos maiores, possuem liquidez diária, mas oferecem rentabilidade muito menor.

RENTABILIDADE DO CDB

A rentabilidade do CDB costuma ser diária. Desta forma, o investidor pode acompanhar todos os dias a variação do seu investimento.

RISCO DO CDB

Já o risco do CDB está diretamente ligado à capacidade de pagamento do banco que o emite.

É como um empréstimo qualquer. Espera-se que a pessoa que toma o dinheiro emprestado, devolva o principal acrescido dos juros na data do vencimento.

Todavia, para a eventualidade disso não acontecer, o CDB tem a garantia do FGC – Fundo Garantidor de Créditos –, até o limite de R$ 250 mil, por CPF e por instituição financeira.

Desta forma, para ter essa garantia, é aconselhável que o investimento em cada banco não ultrapasse esse valor. E, se ultrapassar, que seja estudada a possibilidade de se investir essa diferença em nome de outras pessoas (outros CPFs), para que a cobertura do FGC recaia sobre a totalidade do investimento.

TRIBUTAÇÃO

Na liquidação do CDB, é descontado o IR (imposto sobre a renda). A alíquota não incide sobre o valor investido, mas tão somente sobre a rentabilidade do investimento, e varia de acordo com o prazo do CDB.

Assim, quanto mais tempo o dinheiro fica investido, menor é a alíquota do IR:

  • Até 180 dias: 22,5% sobre o lucro auferido.
  • De 181 dias até 360 dias: 20% sobre o lucro auferido.
  • De 361 dias até 720 dias: 17,5% sobre o lucro auferido.
  • 721 dias ou mais: 15% sobre o lucro auferido.

Como se vê, investir no CDB a longo prazo, além de possibilitar rendimentos melhores (CDB com liquidez somente no vencimento costuma pagar mais, se lembra?), também está sujeito a uma tributação menor. Ou seja, sobra mais dinheiro para o seu bolso!

DEMONSTRAÇÃO DE TÍTULOS CDB

Vamos ver como isso funciona na prática? Enquanto escrevo esse artigo, faço uma pesquisa em uma corretora qualquer, para verificar os títulos (CDB) que estão sendo oferecidos pelos bancos neste momento.

Digo neste momento, porque os títulos disponibilizados mudam diariamente. Algumas vezes, mudam mais de uma vez num mesmo dia!

Verifico que são oferecidos 70 títulos diferentes. Mas vamos restringir nosso estudo à primeira dobra da página (18 primeiros títulos):

Consulta CDB Disponíveis
Consulta realizada em 05/05/2016

1 (seta laranja) – A primeira coluna indica qual é o banco que está oferecendo o CDB. A maioria dos bancos oferece mais de uma opção de CDB.

2 (setas roxas) – A segunda coluna indica o vencimento do título. Note que, como já falamos, a alíquota do IR, na quinta coluna, varia de acordo com o prazo do CDB. Quanto maior o prazo, menor a alíquota do IR.

3 (setas verdes) – Já a terceira e a quarta coluna indicam a remuneração oferecida e a modalidade do CDB. Note que temos apenas quatro deles (indicados por pequenas setas verdes) na modalidade pré-fixada, cujas taxas de juros estão dispostas na terceira coluna. Todos os demais são pós-fixados indexados ao CDI, cujo percentual também é discriminado na terceira coluna.

4 (seta cinza) – A sexta coluna indica o valor mínimo para investimento em cada opção de CDB.

5 (seta vermelha) – A sétima e a oitava colunas demonstram a avaliação, pelas agências de risco (nestes casos, Moody´s e Standard & Poor´s), dos bancos emissores que já foram avaliados.

6 (seta amarela) – Por fim, a última coluna apresenta a liquidez de cada título, isto é, quando o dinheiro pode ser resgatado. Note que apenas um desses títulos não possui liquidez no vencimento. É o último deles (pequena seta amarela), com liquidez em D+1 (dia seguinte à solicitação). Veja que, como falamos, em função da maior liquidez, a sua rentabilidade é bem menor que os demais, e a alíquota do IR é maior.

Espero que tenha esclarecido tudo sobre o CDB. Se tiver qualquer dúvida ou questionamento, por favor utilize a área de comentários abaixo, que ficarei feliz em respondê-lo!

Veja também outros investimentos de renda fixa: LC – Letra de Câmbio / LCA – Letra de Crédito do Agronegócio / LCI – Letra de Crédito Imobiliário / Debêntures / COE – Certificado de Operações Estruturadas / Tesouro Direto

Sumário
CDB – CERTIFICADO DE DEPÓSITO BANCÁRIO
Artigo
CDB – CERTIFICADO DE DEPÓSITO BANCÁRIO
Descrição
Saiba tudo sobre o CDB - Certificado de Depósito Bancário -, um dos melhores investimentos de renda fixa disponíveis no Brasil!
Autor
Site
Guia do Milhão

13 Comentários


  1. Nossa Tiago, parabéns pela matéria sobre o CDB muito boa! Dá vontade de investir já!

    Responder

    1. Esse ultimo CDB que você mostrou que tem vencimento D+1, ele fica com imposto menor se eu esperar até o final?

      Responder

      1. Com certeza Fernanda! Exatamente isso! Se você segurar o título todos os 723 dias, pagará apenas 15% de IR, e não 22,5%.
        Só não confunda vencimento com liquidez. Ele vence em 723 dias. D+1 é a liquidez dele, ok? 😉

        Responder

    2. Muito obrigado Fernanda! Bom que você gostou! O artigo de amanhã será sobre a LC! Não perca!

      Responder

  2. Boa tarde. Muito boa explicação sobre o CDB, as setas também ajudaram muito!
    Uma dúvida, qual será a remuneração do título caso opte pelo resgate antecipado no caso do D+1?

    O CDB que tem liquidez somente no vencimento, pode ser de alguma forma resgatado antes do vencimento? Caso eu precise do dinheiro por alguma emergência por exemplo?

    Obrigado pelas dicas.

    Responder

    1. Obrigado Leonardo!
      Que bom que pude te ajudar!
      O CDB funciona assim: os rendimentos são calculados diariamente.
      Logo, se você acessar todos os dias o site da sua corretora, vai ver que o seu dinheiro estará rendendo um pouco todos os dias.
      Se você solicitar o resgate antes do vencimento, você vai receber o valor que ele terá rendido até a data do resgate.
      Ou seja, vai receber o montante contratado, mas proporcional aos dias que seu dinheiro esteve investido.
      Aproveitando, uma dica: se for investir em algum CDB com liquidez diária, só faça isso se o banco pagar, no mínimo, 100% do CDI.
      Caso contrário, invista no Tesouro Selic, que paga 100% da Taxa Selic, é mais seguro que o CDB, e também tem liquidez diária.
      Abraço Leonardo!

      Responder

      1. Bom dia. Meu investimento em um grande banco está oferecendo 81% do CDI, isto quer dizer que estou perdendo muito em comparação ao TESOURO SELIC?

        Responder

        1. Com certeza Antonio.
          O CDI hoje está em 13,63%. Dessa forma, seu investimento está rendendo 11,04% ao ano (81% do CDI).
          Já a Selic está em 13,75%. Assim, seu investimento estaria rendendo 13,75% ao ano (100% da Selic).
          Pode parecer pouca diferença, mas no longo prazo, os resultados são bem diferentes.
          Veja a simulação abaixo.
          R$ 10 mil a 11,04% ao ano, durante 20 anos, terá se transformado em R$ 960 mil.
          R$ 10 mil a 13,75% ao ano, durante 20 anos, terá se transformado em R$ 1,4 milhão.
          Quanto maior o prazo, maior a discrepância na diferença dos rendimentos.

          Responder

          1. Obrigado, me ajudou muito. Ainda não tenho conta em um corretora, mas estou verificando como devo escolher uma. Mas ainda há dúvida.


          2. Fico feliz em ter conseguido ajudar Antonio!
            Se precisar de mais informações sobre como escolher uma corretora, veja esse artigo.
            Se precisar de ajuda mais completa sobre investimentos em geral (como escolher, quando entrar, quando sair, como maximizar retorno, etc.), sugiro o Segredos do Milhão. Seria bem interessante para você, que já está investindo!
            Grande abraço.


          3. Olá! Gostaria que você me explicasse esse exemplo, se for possível, com as fórmulas Não entendi essa rentabilidade.


          4. Claro Kettelin!
            Vamos lá!
            Todos os títulos, inclusive os CDBs têm uma rentabilidade contratada, certo?
            O que o Antônio comprou rende 81% do CDI.
            Dessa forma, considerando que o CDI está em 13,63% ao ano, o CDB dele estará rendendo 11,04% ao ano, não é mesmo?
            Segue a fórmula: rendimento = CDI x 81%
            Ou seja: rendimento = 13,63 x 81 / 100
            Daí temos que o rendimento do título dele é de 11,04% ao ano!
            A pergunta que ele fez é se seria mais interessante investir no Tesouro Direto, na modalidade Tesouro Selic, que sempre rende 100% da taxa Selic.
            E, como a taxa Selic está em 13,75% ao ano, o dinheiro estaria rendendo 13,75% ao ano se estivesse investido lá!
            Segue a fórmula: rendimento = Selic x 100%
            Ou seja: rendimento = 13,75 x 100 / 100
            Logo, temos que o rendimento do título dele seria de 13,75% ao ano!
            Daí, as simulações de longo prazo foram feitas em uma calculadora financeira, por se tratar de cálculos bastante complexos.
            E os resultados foram:
            R$ 10 mil investidos a 11,04% ao ano, durante 20 anos, terá se transformado em R$ 960 mil.
            R$ 10 mil investido a 13,75% ao ano, durante 20 anos, terá se transformado em R$ 1,4 milhão.
            Essas simulações mostraram ao Antônio os altos valores que ele estará de ganhar se mantiver seu dinheiro no investimento atual.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *